Buala

BUALA | Cultura Contemporânea Africana

"Somos uma plataforma que actua nas áreas da cultura, comunicação, arte e educação. Do significado de BUALA (aldeia, bairro, comunidade, periferia), na língua quimbundo, retemos esse ponto de encontro, casa comum de várias geografias e contribuições. Promovemos ligações intercontinentais a custo zero através de um portal online de crítica e documentação de questões pós-coloniais e transatlânticas, com muita incidência na relação entre Portugal, África e Brasil, e seus contextos socio-culturais particulares. Apelamos a esse olhar contemporâneo, transversal e problematizante, pela abordagem interdisciplinar e pluralidade de colaborações."

Articles référencés

Portugueses invisíveis

Hélia Santos As intervenções políticas, sociais e culturais dos portugueses invisíveis continuarão a ser cruciais para se começar a narrar (...)
20/04/2019

Nturudo : ao encontro do carnaval da Guiné-Bissau

vários O Carnaval guineense, apropriado plenamente pela população e cuja principal representação ocorre na capital do país, revela mais (...)
15/04/2019

Miguel de Barros : o ativista guineense que precisa conhecer

Henri Chevalier A resistência traz aos jovens uma fase mais enérgica de intervenção e focam em assuntos como questionamento do papel dos (...)
14/04/2019

OFICINAS em BISSAU

Marta Lança Durante esses dias foi um prazer contar com a participação de rapazes e raparigas guineenses, estudantes e profissionais, e (...)
14/04/2019

DANGEREUX, um bairro de nome (quase) francês

Indira Grandê Nós, os angolenses, caminhamos de gato e sapato. Onde estávamos mesmo? Luanda chove. BUÉ!!! A chuva escurecida sussurrava ao (...)
14/04/2019

Ela

Sinem Taş Obrigaram Zehra a casar com um primo que mora na Alemanha. Ela viu o homem com quem se casaria somente uma vez, na noite do (...)
10/04/2019

O vale dos caídos no século xxi

Francisco Ferrándiz O fato de Franco estar enterrado "em local sagrado" e da decisão da sua família – de que caso não se possa (...)
6/04/2019

Scúru Fitchádu : O punk não morrerá enquanto se ouvir funaná

Vítor Belanciano Atitude punk e distorção cruzam-se com os ritmos cabo-verdianos do funaná, mediados pelas técnicas do dub ou hip-hop e (...)
2/04/2019

48 retratos de guerra, 48 bombas relógio 48 elegias

Margarida Calafate Ribeiro A experiência da participação neste evento de indefinida colocação historiográfica, quer pela denegação que (...)
30/03/2019

As invisíveis

Beatriz Ramalho da Silva Mãe de três filhos pequenos, era o único sustento da família, o seu marido estava desempregado. Juliana é o (...)
29/03/2019

Besoin d’un site internet ?

Demander un devis